ZH-CN EN FR DE IT JA PL PT RU ES

O que a falta do brincar na natureza e o estresse da vida urbana pode influenciar nas crianças?

As brincadeiras ao ar livre representam um importante fator no desenvolvimento infantil. Entretanto, em uma geração rodeada por tecnologia e comodidades, esta interação com a natureza se torna cada vez menos frequente.

As famílias que moram nas grandes metrópoles constantemente vivem em uma correria diária, fazendo com que seja cada vez mais complicado conduzir a rotina dos filhos. As crianças, por sua vez, passam maiores períodos no mundo virtual do que no mundo real.

Quando as crianças deixam de ter contato com o meio ambiente, sobretudo para brincar, elas sofrem consequências negativas tanto no âmbito emocional quando físico.

criança no computador
Fonte: pixabay

A falta do brincar na natureza e influência nas crianças

O local antes preenchido pelas brincadeiras ao ar livre, hoje é substituído por horas frente à televisão, computadores e tablets. As crianças estão cada vez mais rodeadas pela tecnologia e cada vez menos tendo contato com a natureza. Este fator gera um estilo de vida sedentário que contribui no desenvolvimento de problemas de saúde, tanto físicos quanto psicológicos. Segundo o IBGE, cerca de 30% das crianças encontram-se acima do peso e aproximadamente 15% são consideradas obesas.

A falta do brincar e ter contato com o ar livre faz com que os pequenos fiquem cada vez mais agressivos e deprimidos, sendo que muitas das vezes são recomendados medicamentos para tratar este comportamento. Não é à toa que o Brasil é o segundo pais no mundo que mais faz uso de Ritalina (medicamento utilizado para tratamento de déficit de atenção).

O contato precoce e demasiado da tecnologia pode trazer prejuízos no desenvolvimento infantil como:

  • Dificuldade de concentração;
  • Insônia;
  • Sedentarismo;
  • Obesidade;
  • Distúrbios psiquiátricos;
  • Dificuldades de aprendizagem e memorização;
  • Isoamento e depressão.

Dados estatísticos demonstram que 80% da das crianças que vivem nas grandes metrópoles passam cerca de 90% de seu tempo em ambientes fechados; dentro de casa, em frente a televisão e computadores ou dentro da sala de aula. Quando saem com os pais, vão para o cinema, shopping e restaurantes.

Segundo um levantamento do Children & Nature Network, as crianças brasileiras estão entre aquelas que menos possuem contato com o meio ambiente. Este cenário faz com que doenças como transtorno de hiperatividade, depressão, déficit de atenção, pressão alta e diabetes sejam frequentes nesta faixa etária.

Fora isto, todo o estresse que os pais sofrem com a agitada rotina das metrópoles, influenciam o comportamento dessas crianças, que se tornam mais agitadas e agressivas.

Por esses motivos, é muito importante que os pequenos explorem a natureza que está ao seu redor: brincar na terra, sentir a chuva, interagir com os animais, tomar sol, apreciar as árvores e flores. Deixar as crianças liderarem suas descobertas e interações com o meio ambiente é um fator fundamental para uma infância feliz e saudável.

criança brincar natureza
Fonte: pixabay

A importância do contato com a natureza para o desenvolvimento infantil

O brincar ao ar livre gera benefícios diretos para as crianças. Por conta disto, é fundamental garantir que este elemento faça parte do desenvolvimento desta faixa etária.

O contato com a natureza traz diversos aspectos positivos para a qualidade de vida das crianças, como:

Prática de exercícios físicos

Brincar ao ar livre previne o desenvolvimento de obesidade infantil, que é uma condição cada vez mais presente nesta geração de crianças sedentárias. Deixar a TV de lado e ir andar de bicicleta, subir em árvores, jogar bola e explorar o meio ambiente é extremamente benéfico para a qualidade de vida dos pequenos.

criança natureza
Fonte: pixabay

Criatividade

Além de ajudar as crianças a gastarem energia, brincar ao ar livre estimula muito a criatividade. Estar em um cenário natural faz com que a brincadeira seja cheia de surpresas e novidades. Isto favorece a imaginação e a capacidade de criação, sendo um aspecto muito importante para um desenvolvimento criativo e intelectual das crianças.

Autonomia

Além de aguçar a criatividade, o brincar ao ar livre desenvolve autonomia e independência. Isto auxiliará aos pais superprotetores a repensarem melhor e enxergarem as brincadeiras como um instrumento essencial para ajudará as crianças a encararem os problemas e a encontrarem soluções por sim sós.

Interações sociais

Com tanta tecnologia rondando as nossas crianças, cada vez mais elas se fecham e se isolam do mundo real, reduzindo as suas interações com as pessoas e o ambiente a sua volta. Por meio das brincadeiras na natureza, a criança faz novas amizades, aprende a trabalhar em grupo, a ter mais empatia, reconhece a importância de dividir além de desenvolver a capacidade de comunicação e oratória.

União familiar

Além dos benefícios diretos que o brincar ao ar livre trazem para as crianças, isto também favorece uma maior união familiar, principalmente quando todos resolvem entrar na brincadeira e curtirem momentos próximos a mãe natureza.

Consciência ambiental

A criança que convive em meio a natureza desenvolve um vínculo e afinidade com ela, criando gosto em zelar pelo mundo ao ser redor. Ela sente como se o meio ambiente fosse a sua casa e cria muito respeito e amor com a mãe natureza. Isto constrói adultos com melhor consciência ambiental.

Saúde blindada

Por último, brincar ao ar livre é essencial para obter taxas adequadas de vitamina D, um nutriente fundamental para a absorção do cálcio nos ossos. Quando as crianças passam longos períodos em ambientes fechados e não entram em contato com a luz solar, esta vitamina passa a não ser absorvida gerando fragilidade óssea, maior tendência a fraturas e problemas de crescimento.

Estar ao ar livre, em contato com a natureza é estar em proximidade com a nossa própria essência. Este aspecto é muito importante para um desenvolvimento saudável da criança.

Permanecer horas interagindo com o mundo virtual e rodeado por comodidades e problemas do cotidiano urbano, além de minar a criatividade, pode predispor doenças físicas e mentais nesta faixa etária.

Vamos estimular mais as crianças a apreciarem e a brincarem na natureza, para que assim possamos construir uma geração mais motivada e preocupada com as questões ambientais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *